Blog Arroz •  18/10/2021

Com 30 anos de experiência, produtor de arroz em Santa Catarina fala sobre os desafios na lavoura

Fabrício Pietsch é produtor de arroz em Araranguá, no sul de Santa Catarina, há 30 anos. Possui uma área de plantio de 400 hectares no sistema de produção pré-germinado. Desde 2019 – quando o Loyant® foi lançado –, usa o produto para controlar as plantas daninhas do arroz. Aliás, elas são o maior desafio para Pietsch. “Há pouco tempo, a gente tinha que aplicar herbicidas distintos para cada tipo de planta daninha do arroz. Tinha que fazer duas ou três aplicações com diferentes produtos na mesma área porque não existia um herbicida completo. Hoje, graças ao Loyant®, consigo controlar entre 80% e 90% das plantas daninhas com uma única aplicação”, afirmou.

O capim-arroz e as ciperáceas, em geral, estão entre as plantas daninhas que mais aparecem nas lavouras catarinenses, segundo o relato de Pietsch.

 

Fabrício Pietsch em sua lavoura em Araranguá, Santa Catarina.

 

Critério, tecnologia e o sistema pré-germinado

 

Nestas três décadas de atividade, Pietsch define-se como um produtor criterioso: “Gosto das coisas bem feitas, das lavouras limpas. Para mim, o padrão de campo tem que ser de zero planta daninha, além de um nivelamento de 100% das quadras para obter o maior rendimento possível”.

Ele também falou da importância em investir em tecnologia – tanto da semente, como do produto e da aplicação.

“Tecnologia de aplicação é muito importante. Não adianta pegar um produto muito eficiente, de ótima qualidade, e jogar na lavoura de qualquer maneira, com um pulverizador mal regulado”, explicou.

Como Pietsch aderiu ao sistema de arroz pré-germinado, ele trabalha com o solo encharcado.

 

Produtividade, lucro e eficiência

 

A produtividade conquistada com o Loyant® afetou a vida de Pietsch principalmente no quesito lucro.

“A partir do momento que tenho uma lavoura sem plantas daninhas, além da produtividade ser maior, o número de aplicações também é menor. Uma aplicação do Loyant®  já controla as principais plantas daninhas e, consequentemente, entra-se menos na lavoura, refletindo em mais rentabilidade. Onde a gente depende de aplicação aérea, por exemplo, é um voo a menos, o que reduz custos. Ou seja, tudo traz mais lucro”, afirmou.

O resultado nas sacas colhidas, após o início da utilização do Loyant®, pode chegar até a 40 sacas a mais por hectare, conforme Pietsch. “O Loyant® trouxe mais eficiência. Eu aplico o produto e posso ir fazendo as adubações porque a planta daninha já foi eliminada. Otimiza mais a lavoura, e eu consigo manter o ciclo da planta”.

Para Pietsch, o Loyant® é produto completo para a cultura do arroz – deixa a lavoura livre das plantas daninhas sem precisar ser misturado com outros herbicidas.

O produtor e agrônomo também utiliza outros produtos do portfólio da Corteva Agriscience™, como o  Clincher®,  Ricer®, o  Aproach® Prima e o Duo Max Power.

 

Lavoura familiar

 

Pietsch foi criado no campo e não se vê em outra atividade. “Meu pai era agricultor, produtor de arroz. Desde pequeno estou na lavoura, estudei agronomia e hoje planto arroz”, disse. Foi o pai de Fabrício, o Seu Orivalde, falecido há quatro anos, o grande mentor dele e dos dois irmãos na lavoura familiar.

Mas Pietsch quis ir em busca de outros conhecimentos, além daqueles que adquiriu junto ao pai e por experiência própria. Formou-se em agronomia e procura sempre se manter atualizado com os cursos oferecidos pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri).

E você já conhece o Loyant®? Esperamos que a história de sucesso do Fabrício Pietsh seja um incentivo para você começar a usar o Loyant® na sua lavoura e se livrar das plantas daninhas que prejudicam a sua produtividade!