Blog

Cuidando do jardim em 2022

Something went wrong. Please try again later...

               “ A natureza não faz milagres, faz revelações”

                                     Carlos Drummond de Andrade

A abertura da safra 2022/23, no Centro-Sul, revela um canavial verde, com menor qualidade que a safra anterior, caracterizando o esforço das canas por ainda crescer. É o tal do atraso fisiológico que tem tudo a ver com o tremendo “stress” do ano seco de 2021, acompanhado com geadas e incêndios. As revelações surgem com a colheita e a análise das canas e traduzem uma imagem de um mar de canas com muitas folhas e, infelizmente, muitas falhas nas soqueiras a colher.

Dizia Mário Quintana que “o segredo é não correr atrás das borboletas, mas cuidar do jardim para que elas venham até você”. Cuidar do canavial para boa produtividade e qualidade, vindo até o produtor, é um fator que fará toda a diferença na safra 2022/23 e para a 2023/24. O Brasil teve uma quebra de uma Tailândia canavieira inteira em 2021/22, o que é impressionante, pois esse país asiático está entre os 3 maiores produtores de açúcar no mundo. A herança disso, para a safra 2022/23 brasileira é complexa, desafiadora e de difícil previsão de oferta.

As condições atuais e uma previsão de um La Niña mais firme no 2º semestre de 2022 sugerem uma condição de limites à recuperação da produtividade agrícola na 22/23 mas alguma esperança na melhoria das expectativas da qualidade do canavial, caso os cisnes negros* não resolverem voltar com o frio do inverno ou as chuvas antecipadas da primavera.


O canavial recebeu a atenção do produtor, como o jardim de Quintana, com investimentos importantes voltados ao maior desenvolvimento das plantas. No entanto, é uma corrida contra o tempo em que começamos atrasados...

Isso gera cenários possíveis onde a tecnologia empregada (controle de ervas e pragas; uso de maturadores) fará a diferença, e a oferta de canas estará ao redor de 545 milhões de toneladas de cana (530 a 560 milhões de toneladas como piso e teto), com cerca de 140 – 141 kg ATR/ton cana processada: qual será o mix (mais açúcar ou mais etanol) eleito no Centro-Sul brasileiro?

Há os que digam que os preços do etanol (em paridade com o açúcar) seriam o piso aos preços do açúcar. Na mesma lógica, o teto de preços do açúcar seria dado pelos valores de exportação da Índia. As variáveis pesadas ainda seriam o volume comprado/vendido pelos Fundos Especulativos, o balanço global de oferta e demanda e as macro variáveis como o câmbio e os juros subindo fortemente.

Segundo a LMC International, leve excedente global 2022/23 sob um ambiente de petróleo acima de US$ 100/barril seguirá puxando as commodities para preços elevados. Etanol com prêmio sobre o açúcar levará a um mix açucareiro entre 40 a 45% do total moído, portanto menor que a safra 2021/22.

Figura: Preço Médio (acumulado) do Kg de ATR – Safra 2021/22 e 2022/23 – Consecana. Fonte: Canaplan; Bioagência.

Em ano eleitoral, no Brasil, será possível conferir medidas políticas de um governo que se diz liberal, ou recaídas de intervenção? Isso dirá muito ao etanol?

Em síntese: preços melhores finais na 2022/23 em relação à 2021/22!!!