Blog

A Safra 2022/23, O Velho, o Menino e o Burro

Something went wrong. Please try again later...

             Luiz Carlos Corrêa Carvalho

Começamos a safra 2022/23 com moagem abaixo da esperada, bem atrasados e com índices de produtividade agrícola e de qualidade de cana aquém do que se viu na safra 2021/22. O Centro-Sul desenha outra safra de menor volume de canas ofertadas, mesmo com um verão e um outono melhores. Como consolo tivemos moagem de canas com idade média maior que a da safra anterior nesse período, e um pouco mais de chuvas nos meses de maio e junho/22, de uma forma geral. Entramos no mês de maio/22 com 3 toneladas a menos de cana/hectare, quando muitos esperavam o contrário.

O ritmo da safra deverá se acelerar entre maio e junho/22, e o frio deverá melhorar a qualidade da cana apesar de algumas chuvas. As canas de final de safra seguem como ruins até então e há a análise da imensa maioria dos analistas de clima que teremos geada entre junho e julho próximos, o que assusta e pode gerar alta nos preços.

Ano eleitoral, ações eleitoreiras e desencontros entre os poderes, são riscos à safra, ou apenas se somam ao clima? Alguém conseguirá unanimidade?

 

Isso nos lembra a fábula do velho, do menino e do burro passando por cidades e em cada uma, uma crítica de como os três personagens deveriam seguir: montados juntos, ou o menino montado ou o velho...

As eleições geraram uma corrida pela redução do ICMS dos combustíveis que fragilizava o etanol: PLP 18/22 com duas PECs para não deixar estados perderem arrecadação e o etanol não perder mercado! Unanimidade impossível, mas votação suficiente para passar a lei e os PECs!

Açúcar segue próximo dos US$ 20c/lb (contrato 11, NY) e o etanol, com o apoio dos CBIOs, acima disso! Mas desde que os projetos citados passem...

Mesmo com custos em forte aceleração, as margens se manteriam com um preço médio na safra 2022/23 de R$ 1,22/kg de ATR, com as medidas acontecendo... ou a pressão de uma perda entre R$ 0,10 a R$ 0,15 se as medidas não acontecerem.

Os preços elevados do petróleo e o comando da OPEC+ faz uma previsão de gasolina cara e etanol a acompanhando. Na segunda semana de junho/22 a defasagem de preços da gasolina brasileira está acima de 35%!!

A safra deve enfrentar problemas ainda a surgir, sendo interessante compará-los com oportunidades que também podem acontecer: geada é apavorante assim como as chuvas de junho são estimuladoras de produtividade. Melhor seria se os canaviais não mostrassem chochamento, como se vê em várias regiões e a qualidade reagisse de fato.

Para indefinições assim, será fundamental o uso de maturadores planejados que ajudem a qualidade e os riscos de uma primavera com chuvas. Novamente isso me lembra a fábula citada, com uma definição dos gestores do setor pela segurança de se obter melhor qualidade das canas!

Tudo acontece sob o clima carregado em reunião da OMC - Organização Mundial do Comércio – onde os indianos e seus países liderados fazem pressão para aproveitar os momentos de insegurança para tentarem perpetuar seus subsídios ao açúcar, entre outros produtos suportados por aquele país.