Tecnologia de Aplicação •  21/10/2020

Seleção de pontas de pulverização

Qual é a ponta de pulverização ideal? A resposta não é simples como a questão, pois as pontas são peças de precisão, com vários tipos e vazões dentro dos modelos.

Este conteúdo foi elaborado para que você entenda a importância de escolher corretamente as pontas que irão atender as suas necessidades, gerando melhores resultados nas aplicações e mais segurança ao meio ambiente, com menos perdas de defensivos por deriva.

Quais são as principais funções das pontas?

As principais funções das pontas são: determinar a vazão, o espectro de gotas e definir a forma do jato emitido.

Para um desempenho satisfatório com o mínimo de perdas e deriva é preciso considerar um conjunto de medidas como:

  • Momento da aplicação 

  • Condições meteorológicas 

  • Recomendação do produto 

  • Condições operacionais

Seleção das pontas de pulverização

Para selecionar a ponta correta, utilize a fórmula:

Vazão = Vol x Vel x Esp / 600

  • Vazão = Vazão da ponta (L/min) 

  • Vol = Volume de calda (L/ha)

  • Vel = Velocidade de pulverização (km/h) 

  • Esp = Espaçamento entre bicos (m)

Classe de gotas e vazão

As classes de gotas mais comuns são as seguintes:

  • Muito finas

  • Finas

  • Médias

  • Grossas

  • Muito grossas

  • Extremamente grossa

Pode haver ainda as classes “extremamente finas” e “ultragrossas”.

Conheça as famílias de pontas 

Os principais tipos de pontas são:

Jato plano de uso ampliado: são mais recomendadas para alvos planos ou de arquitetura mais simples.

Jato plano de baixa deriva com pré-orifício: são pontas com perfil de gotas médias ou grossas, utilizadas para reduzir o risco de deriva.

Jato plano duplo: recomendadas para alvos com arquitetura mais complexa, assim como as pontas de jato cônico, gerando melhor penetração das gotas no dossel das culturas.

Jato plano defletor ou de impacto: produz gotas médias a grossas, com baixa deriva.

Jato cônico: em geral, apresentam melhor desempenho de penetração e cobertura dos alvos, mas com alto risco de deriva.

Jato com indução de ar “Venturi I”: são caracterizadas por gerar gotas muito grandes (de grossas a ultragrossas), presentando baixa deriva, sendo ecomendadas para herbicidas extremamente sistêmicos, como o glifosato.

Jato com indução de ar “Venturi II”: recomendadas para trabalhos gerais em que se requer gotas médias a grossas, com baixa deriva, encontrando espaço nas aplicações de herbicidas, inseticidas e fungicidas.

 

Clique no link abaixo para ter acesso a este conteúdo em formato de e-book.

Seleção de pontas de pulverização